Radio Ouve: John Streets, com quantos anos você começou

sua carreira artística?


John Streets: A minha carreira artística começou no dia que bati na porta da Valentim de carvalho em Benfica e pedi para gravar uma ideia que tinha na cabeça (so uma folha com a letra e meros acordes na viola) . Como existia um estúdio de um professor no piso de cima e falei com ele que queria gravar , o nome do músico /Produtor  Paulo Muiños, saxofonista e baixista e muito bem disposto. Passado um tempinho chamou músicos fantásticos , desde guitarristas , viola de arco e como a Valentim de carvalho era por baixo uma cantora colega dele para ouvirem a minha ideia e por mãos a obra. Naquele momento foi quando eu percebi que tinha virado um artista. Irei um dia refazer essa música que para mim é das mais bonitas que alguma vez fiz. Tinha uns 22 anos quando gravei a minha primeira música. 


Radio Ouve: Você é um artista que transita pelo folk e o romântico. De onde vem essas influências?


John Streets: Meu pai. Tinha uma coleção de vinil e quando era mais novo ouvi na casa dos meus avós. Lembro-me de ouvir Elvis , Tracy Chapman, Bob Dylan, John Denver, Chris de Burgh, Eric Clapton, the Pogues , Beatles entre outros. Nas viagens de carro Triny Lopez nas férias com a minha família maravilhosa (um beijo a todos) . 




Radio Ouve: Portugal tem uma tradição do fado, um estilo que

envolve muita emoção. Você acha que de alguma maneira foi

influenciado pelo fado mesmo não sendo um artista do

género?


John Streets: Sim, Portugal é um povo da saudade, do amor, da tristeza e da felicidade. Quem conhece Portugal e seu povo sabe que fado é património de Portugal e do mundo, de portugueses para o mundo. A palavra tem força e muito sentido. Honramos as nossas casas e as palavras. Sempre que escrevo em português todas as palavras tem que ser sentidas e transmitir esse sentimento. Temos sempre influencia cultural .


Radio Ouve: Quais os artistas da atualidade que você gosta de

ouvir e qual o melhor show ou live streaming (na atualidade)?


John Streets: Gosto muito de John Mayer, Rhye, Gregory alan isakov, Ed Sheeran ,Cinematic Orquestra ,Novo amor, cigarettes after sex, the xx e The tallest man on earth entre outros

De todos os que falei infelizmente ainda não assisti, mas apostaria no Rhye , The xx  e John Mayer. Tinha bilhete para ed sheeran mas tive que sair do país em trabalho, dizem que foi fantástico. Gosto de Fernando Daniel e Diogo Piçarra, Mariza , Ana Moura e António Zambujo.


Radio Ouve: John, você foi modelo de sucesso quando na adolescência. Acha que o fato de ter experiência na frente das lentes, facilita de alguma forma para a carreira musical?


John Streets: Acredito que sim, fiz alguns comerciais para grandes marcas e trabalhei com muitos profissionais. Acredito que com tempo, ganhamos experiência e ficamos mais tranquilos nas nossas capacidades. Mas existe sempre aquele nervosismo inicial até o corpo aceitar e depois é seguir.



Radio Ouve: Como é olhar para trás e entender essa caminhada com a música?


John Streets: Uma caminhada linda, de entre ajuda, companheirismo e de entendimento. Não poderia pedir melhor companheiro de viagem, caminhada leve, emocionante.


Radio Ouve: Como é o seu contato com público? Qual o retorno que este público te dá – seja pessoalmente ou pela

internet?


John Streets: É maravilhoso. quando te escrevem mensagem de apoio e de agradecimento. Música é uma ferramenta forte de cura. Milhares de partilhas online, questões que me colocam. Tenho todo o gosto em participar e ajudar no que puder. Até hoje apenas foram lindas mensagens. Só posso agradecer aos meus companheiros de caminhada um grande obrigado. Partilha conjunta de sucesso


Radio Ouve: John, qual é a sua opinião sobre o cenário musical português? Você acha que os artistas tem espaço suficiente para mostrar seus trabalhos?


John Streets: Comercialmente nunca mais vai ser a mesma. Dependemos de likes, subscrições e entrevistas e nos espetáculos está a galinha de ovos de ouro. “No likes, no concert”. As pessoas têm acesso hoje em dia com a evolução da tecnologia tudo em menos de 1 minuto. Para os independentes como eu, é fantástico, mais fácil de nos darmos ao mundo e criar relação com o nosso público. Canais digitais como spotify e youtube pagam valores baixíssimo na qual o artista português não tem como ter retorno do investimento, Salvo as exceções de um ou outro artista português. Já não se vendem cds (só aos aficionados).

Somos um país “Grande”, mas com densidade populacional igual ao rio de janeiro ... 

Portugal está cada vez mais internacional e as pessoas ao visitarem Portugal aprendem algumas experiências nossas, assistem concertos, ouvem músicas. espero que levem algumas músicas nossa pelo mundo fora, fado essencialmente e John Streets.




Radio Ouve: E em relação ao cenário musical internacional, como você vê o espaço para os artistas da música portuguesa?


John Streets: Temos artistas fantásticos e cada vez mais. A nossa música com interpretação em português internacionalmente é o nosso grande Fado, A nossa intemporal Amália Rodrigues, Dulce Pontes, Madredeus, Mariza, Ana Moura entre outros. Música mais internacional, os the Gift , Maria João Pires no Piano ,os Imigrantes por todo mundo que ouvem José Cid , Tony Carreira e o nosso Minhoto Quim Barreiros . Estamos em todo lado. A nossa essência transborda cultura. Um dia seremos muitos a cantar a nossa e outras línguas pelo mundo. 


Radio Ouve: Você acha que o artista precisa gerir a parte administrativa de sua carreira?


John Streets: Acredito que sozinhos nada fazemos, aprendemos com as pessoas profissionais que passam por nós, e  os erros que cometeram serão lições para o futuro. Ele tem que saber fazer um pouco de tudo e delegar a quem entende cada parte. Mas o artista tem que tomar as decisões finais. Mas no inicio, é pedir o máximo de informação e criar estratégia. O John Streets sozinho talvez não estivesse aqui na entrevista se fosse fazer o caminho sozinho. Quando bateu a porta do estúdio, Paulo Muinõs ensinou truques, no brasil Alexandre Reis e John Philip ensinou outros truques com o single “Tu e Eu”, Caesar Barbosa em Lisboa com o arranque do Single Tempo. Os amigos que trabalham na área também são fundamentais. Mas no fim a decisão é nossa. Um muito Obrigado a todos os que mencionei e todos os outros amigos que não mencionei


Radio Ouve: Tem algo ainda a ser alcançado como artista - ou como pessoa - que você não conquistou?


John Streets: Claro que sim, ainda estou no início e serei sempre aprendiz, gostava que o meu trabalho fosse mais ouvido pelo mundo, e as pessoas entendessem a minha mensagem e que esta fosse partilhada por gerações. O meu grande objectivo de vida será sempre ser melhor humano a cada dia e transmitir amor e superação por todos . Energia boa. 


Radio Ouve: John, como foi o processo de composição e de produção dos seus últimos singles?


John Streets: Sempre com dedicação. Quem corre por gosto não cansa. Tenho como meu aliado nas composições o amor, a motivação e a superação, são os temas que eu componho.

Sempre tive a sorte de ter por perto grandes amigos músicos e produtores como o grande Caesar Barbosa e Alexandre Reis. Tê-los por perto é uma bênção. Entendem bem a minha visão e emoção em cada trabalho. Saímos esgotados das sessões, mas com dever comprido. Tenho melodia da viola acústica na cabeça, começo a escrever e.… depois entram estes dois maravilhosos artistas. 


Caesar barbosa com “Tempo” entre outros Singles que irão ser lançados muito brevemente e Alexandre Reis com “Tu e Eu” entre outros que irei lançar no futuro. Eles dão tudo e eu só tenho que agradecer trabalhar com os melhores do brasil.






Radio Ouve: John, há muitas pessoas e principalmente jovens aqui em Portugal, África, Ásia e Brasil que ouvirão seu som. Que recado você deixaria para esses jovens que sonham em ter uma carreira e um talento como seu?


A grande lição começou em casa com os meus sobrinhos (beijo grande Manel, António e Teresinha). Nada é impossível, mas também não está sentado à espera que agarres. 


A Primeira pergunta que os meus amigos da área me perguntaram: O que queres da música? Porque queres ser artista? depois de teres estas questões, certifica-te de quem te acompanha na caminhada. Sozinho nada se faz. 

Cria a tua marca, mostra as tuas ideias. Aprende com os melhores. Não és diferente dos outros, mesmo que aches que sim, todos passam pelo mesmo processo. Ronaldo exemplo de superação, trabalho, trabalho, trabalho até ter consistência. 

Questiona e pergunta às pessoas certas como funciona o mundo da música e nunca leves um não como resposta. Pede ajuda a quem já está no mercado. Se fizesse o que achava correto, hoje apenas a minha família e poucos mais ouviriam as minhas músicas... Ouve o que as pessoas tem para te dizer, no fim a resposta é tua. Escolhe produtor e músicos certos para a tua jornada e Rock on!



John Streets esta na nossa programação em "Pastelaria Portuguesa" ao 12hs.


Instagram: https://www.instagram.com/john_streets_official/

Facebook: https://www.facebook.com/johnstreetsofficial/

Website: https://www.johnstreets.com/

Spotify: https://open.spotify.com/artist/6spLoKCH1tlneHq08oM6Dq?si=ynnvOTqdSCy70ZgPJJQZ1g

Deixe seu Comentário